De novo? Larissa e Thalita perdem para alemãs e vão disputar o bronze da Rio 2016

Mais uma vez, Alemanha cruza o caminho do Brasil em uma semifinal, vence bem e se classifica sem maiores problemas para a final olímpica

Não deu para a dupla brasileira na semifinal do torneio feminino de vôlei de praia das Olimpíadas Rio 2016. Larissa e Talita não resistiram ao volume de jogo e a regularidade das alemãs Laura Ludwig e Kira Walkenhorst e foram derrotadas por 2 sets a 0 (21-18 e 21-12), na tarde desta terça, 16, nas areias da Arena de Copacabana. Até a metade do primeiro set, o jogo foi equilibrado, mas a partir do décimo sexto ponto, as alemãs tomaram conta da partida e não tiveram trabalho algum para derrotar a dupla de donas da casa. Passeando em quadra, as europeias quase não suaram e vão disputar a medalha de ouro. Apáticas na partida de hoje, Larissa e Talita precisarão reagir rápido para disputar a medalha de bronze, nesta quarta.

 

Bola ao alto, o set começou e com o ataque de Larissa para fora o primeiro ponto para as alemãs que fizeram o segundo com um belo bloqueio no meio de rede. As brasileiras reagiram em ataques perfeitos sem chances de defesa para as adversárias. Larissa caprichava no saque e dificultava a recepção de Walkenhorst que se atrapalhava seguidamente. As duplas trocavam bolas até que Talita atacou em uma bola diagonal, abrindo dois pontos de vantagem, mas que as alemãs buscaram na sequencia. Depois da parada dos 21 pontos somados com o placar em 11 a 10 para as brasileiras, a dupla europeia voltou a pedir tempo, pois, as brasileiras encaixaram um contra ataque na bola atacada no corredor e um bloqueio, abrindo dois pontos. As atletas da Alemanha se recuperaram, marcaram três pontos e re-empatam o set. As brasileiras vinham administrando a vantagem de um ponto que se inverteu com o toque na rede de Talita. A dupla da casa solicitou o desafio eletrônico, pedindo uma falta na rede das alemãs, que não se confirmou. Então, a dupla número um do mundo aproveitou que seu jogo estava encaixado, encaixaram dois contra ataques e no erro de saque das brasileiras, fecharam o primeiro set em 21 a 17, mesmo perdendo o segundo desafio eletrônico solicitado na marcação anterior, onde a bola saiu.

 

A segunda parcial começou como terminou a primeira, com erro brasileiro e ponto da Alemanha para abrir contagem. As brasileiras reagiram, buscaram as bolas, mas erravam demais e o volume de jogo das alemãs era maior. Ludwig defendia muito bem, buscou bolas impossíveis e sua dupla abriu três pontos de vantagem, obrigando as brasileiras a parar o jogo no tempo técnico para frear o distanciamento no placar. Não adiantou, Walkenhorst bloqueou bem e abriu cinco pontos de vantagem. As brasileiras tentavam reagir e conseguiram dois contra ataques para reduzir o prejuízo, mas a alemã montou o bloqueio em cima de Talita. Ace alemão e as coisas davam errado para a dupla brasileira que naquele momento estava oito pontos atrás no placar. Os erros se acumulavam para as donas da casa. Havia problemas na recepção, no ataque, no contra ataque e no bloqueio que não conseguia fazer nenhum ponto. A dupla germânica administrava o set com tranquilidade já que sua vantagem variava entre cinco e sete pontos, apenas esperando a troca de bolas para fechar a passagem em 21 a 12 e a partida em 2 a 0.

 

Após a derrota, Larissa comentou a derrota, reconheceu a superioridade alemã e afirmou que é preciso reagir para buscar a medalha de bronze.

 

- Hoje, várias coisas não encaixaram. Nesse momento, ficaram os melhores times. Então, o jogo tem encaixar, tem que jogar bem. A gente quer ganhar, busca o perfeccionismo, mas elas jogaram melhor que nós. Vamos com toda força amanhã, porque agora é levantar a cabeça e buscar essa medalha. Mas hoje o mérito é todo das alemãs que foram perfeitas na defesa – afirmou a resignada atleta.

 

Nesta quarta, a dupla brasileira volta à Arena de Copacabana para a disputa da medalha de bronze.

 

 

 

 

Copyright© 2007/2016 - COMENTANDO.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.