Evandro e Pedro perdem para os russos e estão fora das Olimpíadas

Dupla brasileira começa bem, mas cai muito de produção, joga mal nos dois últimos sets, permite virada de dupla da Russia e dá adeus à disputa de medalhas

Desde que o vôlei de praia entrou no circuito olímpico, em Atlanta 1996, sempre se espera que as duplas brasileiras figurem entre as principais favoritas à conquista de medalhas. É normal esperar que os times verde e amarelo cheguem, ao menos, as quartas de final e sempre se cobra deles a semifinal. Porém, para Pedro Solberg e Evandro Junior a jornada olímpica na Rio 2016 terminou cedo com a eliminação nas oitavas. Apesar de ter começado muito bem, a dupla brasileira jogou mal os sets seguintes e acabou derrotada pelos russos Dmitri Barsuk e Nikita Liamin por dois sets a um (17-21, 21-14 e 15-10), na tarde deste sábado na Arena de Copacabana. É importante ressaltar o mérito do russo Liamin que ao perceber que não tinha chances contra o bloqueio de Pedro, mudou a forma de jogar, fazendo sua dupla crescer, virar a partida e conquistar a vaga nas quartas de final para enfrentar os italianos Nicolai e Lupo.

 

A dupla brasileira começou bem com dois bloqueios de Pedro garantindo os primeiros pontos brasileiros no set. Na sequencia um dos ataques do Brasil bateu na rede e caiu na beira da quadra russa garantindo a vantagem de dois pontos para a dupla da casa. A dupla da Russia se organizou e buscou a pequena diferença. Com o placar em 11 a 10, um lance curioso. No ataque russo, o árbitro marcou um toque no bloqueio brasileiro da bola que saiu. A reação de Pedro foi tão forte que o próprio juiz ficou na dúvida e pediu o desafio eletrônico para tirar qualquer espécie de duvida. Não são muito comuns situações que o próprio árbitro desafie sua marcação. Na conferência do vídeo, a mesa de juízes confirmou o toque no dedo mindinho da mão direita de Evandro, confirmando a decisão do árbitro de cadeira. Pedro e Evandro conseguiram novamente a vantagem de dois pontos e passaram a administrá-la sempre que viravam as bolas e no fim do primeiro set conseguiram um contra ataques e com dois belos bloqueios, aumentaram a diferença para cinco pontos e fecharam o primeiro set com o placar de 21 a 17, largando na frente na partida.

 

O árbitro autoriza, bola na mão dos brasileiros, Evandro decola e crava o ace fazendo o primeiro ponto do segundo set. O russo Liamin percebendo que o brasileiro Pedro estava muito bem no bloqueio passou a variar as jogadas para fugir da marcação e deu certo. Rapidamente tiraram a vantagem e empataram a partida em uma bobeira de Evandro que furou uma bola na rede e viu os russos passarem a frente. A dupla da casa se desestabilizou e chegou a solicitar o desafio eletrônico para saber se a bola havia tocada na mão do russo em um dos ataques, mas o desafio mostrou que a bola não havia tocado na mão do estrangeiro. Os russos chegaram a abrir 10 a 7, o que fez Pedro e Evandro pararem o jogo com o tempo técnico. Na volta, começaram a reação e logo de cara acharam um ponto no erro russo. A tática dos estrangeiros de não encarar os bloqueios estava dando certo. Apesar dos brasileiros correrem atrás, não conseguiram evitar o distanciamento no placar. A vantagem que chegou a ser de sete pontos, maior diferença da partida, e que se manteve até o fim, quando Barsuk e Liamin fecharam o set em 21 a 14, empatando a partida em 1 a 1.

 

Com a partida empatada o jogo foi para set de desempate, um set curto de apenas 15 pontos.  De cara, o desafio eletrônico entrou em cena para confirmar um toque no bloqueio brasileiro e colocar os russos na frente do placar. Os Evandro e Pedro pareciam nervosos e não conseguiam encaixar seu vôlei nas areias da Arena de Copacabana e viram a vantagem dos adversários aumentar ponto sobre ponto. A partida estava tão favorável aos russos que até as bolas de um toque disputadas na rede caiam do lado brasileiro. O público estava em silêncio e não conseguia entrar na partida. Os russos seguiam jogando bem e depois de ter mudado o jogo fecharam a tie-break em 15 a 10 e a partida em 2 sets a 1.

 

Pedro Solberg falou da tristeza da eliminação em casa e apontou qual foi o maior problema da dupla brasileira na partida.

 

- Foi muito legal poder ter participado de um evento com a força dessa torcida que nos apoiou o tempo todo. Infelizmente estamos fora e isso é que lavamos de ruim dessa experiência. Hoje, minha virada de bola foi muito fraca. Jogamos atentos aos saques e bloqueios no primeiro set, mas depois, esse nosso jogo caiu e isso nos prejudicou. Agora, é levantar a cabeça e seguir em frente – completou o cabisbaixo jogador.

 

Com a eliminação de Pedro e Evandro, as esperanças de medalha para os brasileiros no torneio masculino de vôlei de praia, agora, estão concentradas em Alisson e Bruno que seguem vivos na busca pela medalha de ouro.

Copyright© 2007/2018 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.