3 a 1 de novo! Apesar de começo ruim, Brasil vence Canadá na 2ª rodada da Rio 2016

Apesar de demonstrar variação de saque e força no sistema defensivo, mais uma vez, time de Bernardino começa mal e precisa virar a partida para vencer

Mais uma vez a seleção brasileira mostrou desatenção no início da partida e começou perdendo o confronto com o Canadá, na segunda rodada do torneio masculino de vôlei das Olimpíadas Rio 2016.  Apesar de dominar quase toda a primeira passagem, o time do técnico Bernardinho foi surpreendido e largou atrás no placar. Mas com grande participação dos jogadores que saíram do banco de reservas, o time verde e amarelo conseguiu impor seu volume de jogo e venceu a partida, mais uma vez, por 3 sets a 1 (24-26, 25-18, 25-22 e 25-17), mostrando o aquilo que foi um dos principais problemas dos atletas brasileiros durante décadas, o despreparo para lidar com a pressão psicológica, pode ser coisa do passado. Mesmo após sofrer a virada no final do primeiro set, o time não se abalou e conquistou os três pontos. Outro ponto positivo foi ver como a coletividade está bem distribuída dentro do conjunto tupiniquim. O nível dos jogadores de todo o grupo que compõe a seleção é muito próximo e os que saem do banco de reservas não deixam nada a desejar para os titulares. 

 

SELEÇÃO ABUSA DOS ERROS DE ATAQUE E CANADÁ VENCE O PRIMEIRO SET

 

Éder começou sacando, mas foi o Canadá que abriu abre a contagem. Os brasileiros estavam ansiosos e pareciam querer resolver a partida rapidamente. Esse comportamento fez a seleção errar algumas bolas fáceis. A vontade era tanta que antes de alguma equipe atingir 5 pontos no placar, os dois técnicos já haviam solicitado desafios eletrônicos. Logo, a ansiedade ficou de lado e os brasileiros se encontraram. Wallace acertou a mão nos saques. Lucarelli começou a pegar confiança nos ataques de ponta de rede e rapidamente o Brasil já administrava uma vantagem de 5 pontos. Os canadenses esboçaram uma reação, mas Bernardinho pediu tempo e acertou o jogo dos donos da casa, fazendo a seleção brasileira abrir 5 pontos novamente. Porém, nada é fácil e mais uma vez os visitantes reagiram e encostaram no placar. Bernardinho voltou a parar o jogo e os times ficaram trocando pontos. Os erros seguiram acontecendo de ambos os lados e, em um caso raro de falha do líbero Serginho, os canadenses empataram o set em 24 a 24. Os meninos do Brasil se desestabilizaram e com dois bloqueios em cima do ponteiro Lucarelli, os canadenses venceram o primeiro set por 26 a 24.

 

TIME BRASILEIRO ERRA MENOS E VENCE SEGUNDO SET SEM PROBLEMAS

 

Assim como na partida de estreia, quando também perdeu o primeiro set, a equipe brasileira voltou para a segunda passagem disposta a encaixar seu jogo e virar a partida. No primeiro terço do set, o ponteiro Lucarelli acertou a mão nos ataques, saque e até no bloqueio simples para ajudar a equipe da casa a tomar a dianteira do placar e buscar o empate. O clima em quadra esquentou. Em alguns momentos houve provocação entre os atletas. O levantador Bruninho passou a distribuir as bolas para as pontas e, novamente, o time brasileiro impôs o volume de seu jogo, voltando a abrir uma vantagem 3 a 5 pontos. Os canadenses tentaram uma reação, mas a passagem de saque do central Éder foi fundamental para espantar qualquer lampejo de dificuldade que os brasileiros poderiam ter. No saque forçado de Lucarelli e no contra ataque com Brunho achando Mauricio livre para cravar a bola no chão e fechar o segundo set em 25 a 18. Empatando a partida para a vibração do público presente no Maracanãzinho.

 

EM SET EQUILIBRADO E DE FORTES DEFESAS, FORÇA TÉCNICA BRASILEIRA SE SOBRESSAI

 

O terceiro set começou extremamente equilibrado. Os times pareciam estar mais concentrados, o que diminuiu a quantidade de erros. Destaque para integração entre defesa e bloqueio dos canadenses que funcionava muito bem. Mas os comandados de Bernardinho não ficavam atrás. Belas defesas de Serginho também garantiam a regularidade brasileira que manteve a ponta até o décimo segundo ponto, quando os canadenses viraram o placar para 13 a 12, obrigando Bernardinho a pedir tempo técnico e parar o jogo. As duas seleções começaram a trocar bolas e se alternar na dianteira do placar até o decimo oitavo ponto brasileiro, que após duas grandes defesas dos brasileiros foi motivo de discussão entre a comissão técnica estrangeira e a arbitragem que marcou uma invasão, dando ponto para os donos da casa, o que fez os visitantes perderem um pouquinho da concentração. Com o aumento de erros dos canadenses, o Brasil apertou, com defesas impecáveis e com outro ataque fulminante de Lucarelli, fechou o terceiro set em 25 a 22. Virando a partida que se desenhava bastante complexa até o momento.

 

MENINOS DO BRASIL ACERTAM A MÃO E FECHAM O JOGO EM 3 A 1

 

O quarto set começou com um saque canadense na rede e uma defesa fantástica de Bruninho pelo lado brasileiro. Medalhista nas últimas três Olimpíadas quando conquistou uma medalha de ouro e duas de prata, os brasileiros impuseram sua qualidade técnica e tática sobre os canadenses. Errando menos a seleção brasileira administrou o set, abrindo uma vantagem confortável no placar e obrigando os adversários a buscarem soluções para tentar o empate, o que aumentou consideravelmente o número de erros dos atletas estrangeiros. Willian, o levantador reserva da seleção, substituiu Bruninho e o jogo brasileiro deslanchou. Na passagem mais curta da partida, os centrais brasileiros assumiram a responsabilidade da partida e com um bloqueio de R a seleção brasileira fechou o set por 25 a 17 e a partida por 3 sets a 1.

 

Bernardinho não gostou do comportamento do time no primeiro set, mas exaltou o poder de concentração dos atletas no restante do jogo. - Foi um bom resultado, um bom jogo. Perdemos o primeiro set errando muito. Do ponto de vista emocional, o time sentiu no fim do primeiro set e permitiu a virada dos canadenses, mas o melhor disso foi que a equipe não se entregou e, mesmo com emocional abalado,  isso foi muito importante. Conseguimos fazer um jogo de reação e depois que nos encontramos em quadra fomos muito bem. Estamos trabalhando nosso saque e chegando a um resultado durante a competição. Agora precisamos nos concentrar para vencer os Estados Unidos que, apesar de ter perdido, é um grande time e precisa vencer para seguir no campeonato. Não vai ser um jogo fácil – explicou o treinador.

 

O ponteiro Lucarelli falou sobre um dos lances fundamentais da partida, quando uma bola atacada por ele, acertou o rosto do adversário canadense, o que mexeu com a torcida presente no Maracanãzinho. – Foi um lance de agressividade que inflamou a torcida e mexeu com nosso time. Acho que depois disso todos jogaram bem e a gente conseguiu sair com vitória. Sabíamos que eles usariam um saque leve que cai mais na frente, próximo da rede e não conseguimos neutralizar no primeiro momento- afirmou.

 

A seleção brasileira masculina de vôlei volta à quadra na próxima quarta, dia 11, às 22h35m para enfrentar os Estados Unidos. O time americano vem de duas derrotas seguidas e está em situação delicada na competição, precisando vencer para se manter na busca pelas medalhas.

 

FICHA TÉCNICA:

 

Brasil  3 x 1  Canadá

Local: Ginásio do Maracanãzinho
Data: 9 de agosto de 2016 (Domingo)
Horário: 22h35m (de Brasília)

 

Levantadores
Bruninho (Modela/Itália)
William (Sada Cruzeiro)
Raphael (Funvic/Taubaté)

 

Opostos
Wallace Souza (Sada Cruzeiro)
Evandro (Suntory/Japão)
Wallace Martins (Brasil Kirin)

 

Centrais
Lucão (Modela/Itália)
Isac (Sada Cruzeiro)
Sidão (Sesi-SP)
Éder (Sada Cruzeiro)
Maurício Souza (Brasil Kirin)

 

Ponteiros
Murilo (Sesi-SP)
Lucarelli (Funvic/Taubaté)
Lipe (Funvic/Taubaté)
Lucas Lóh (Brasil Kirin)
Douglas (Sesi-SP)

 

Líberos
Serginho (Sesi-SP)
Tiago Brendle (Brasil Kirin)

 

Técnico: Bernardinho

Copyright© 2007/2018 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.