Escapou! Na “prorrogação”, Érika Miranda é derrotada e medalha fica para Tókyo 2020

Judoca chegou a estar na frente do combate, mas permitiu o empate e viu o fim do sonho da medalha olímpica. Brasileiros fecham segundo dia sem medalhas

Não deu! Em uma luta equilibrada, que só terminou após dois minutos de golden score, a prorrogação de morte súbita das lutas de judô, a brasileira Érika  Miranda foi derrotada pela japonesa Misato Nakamura na decisão da medalha de bronze e viu o sonho da medalha olímpica escapar por entre os dedos. A judoca brasileira começou melhor e forçou uma punição para a oponente japonesa. Após a primeira metade da luta a coisa se inverteu e foi a vez da brasileira ser punida pelo árbitro. Com uma pegada forte de amos os lados, as lutadoras mostraram bastante equilíbrio em todo o combate. Esse equilíbrio se refletiu no placar que ficou zerado até o cronometro zerar.

 

O público da Arena Carioca 2 até que tentou ajudar, mas após o  término dos quatro minutos regulamentares, a tensão tomou conta da plateia. Então, a decisão da medalha ficou para o “golden score”, ou seja, vence a atleta que fizer o primeiro ponto. Após mais de dois minutos de “prorrogação” a japonesa encaixou um belo golpe, encerrou o combate e pendurou a medalha de bronze no peito. O judô brasileiro fecha o segundo dia de competições sem medalhas. Amanhã as esperanças se renovam com Rafaela Silva na categoria até 57 kg e Alex Pombo na categoria até 73k.

 

Copyright© 2007/2018 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.