Brasil marca nos acréscimos, vence a Costa Rica e encaminha classificação

Após primeiro tempo ruim, Douglas Costa e Firmino mudam a partida. Seleção melhora no segundo tempo em que Coutinho e Neymar marcam no fim

 

 

Quando o técnico Tite assumiu o comando da Seleção Brasileira o clima era de terra arrasada. Uma dos principais problemas era a falta de coletividade da equipe. Talvez, o maior dos méritos do treinador foi, justamente, transformar aquele cenário em um grupo, um time que poderia jogar coletivamente, sem se fiar apenas no talento individual de Neymar. Foi justamente esse time que se viu na manhã desta sexta, na vitória de dois a zero do Brasil sobre a Costa Rica, em São Petersburgo. Apesar de Neymar ter feito seu gol no último lance do jogo, o grande destaque da equipe foi, mais uma vez, a atuação de Philippe Coutinho que além de abrir o placar, tirando o time brasileiro do sufoco, foi o responsável pelas principais ações ofensivas do Brasil, encaminhando a classificação para as oitavas de final.

 

Depois de uma primeira etapa ruim, Tite mostrou que levou para a Rússia um bom grupo de jogadores e que nas dificuldades tem opções para mudar o panorama daquelas partidas que estiverem complicadas. As entradas de Douglas Costa e Roberto Firmino mexeram com o time e a Seleção conseguiu furar o bloqueio da Costa Rica que entrou em campo para não perder. O time de Óscar Ramirez conseguiu manter seu objetivo até os acréscimos, quando viu Keylor Navas, ser vencido duas vezes em cinco minutos e, com duas derrotas, está eliminada da Copa do Mundo. Ao final da partida, sentado no círculo central, Neymar começou a chorar copiosamente e foi abraçado pelos companheiros.

 

 

POSSE DE BOLA BRASILEIRA, POUCAS OPORTUNIDADES E PRIMEIRO TEMPO SEM GRANDES CHANCES DE GOL

 

O time brasileiro começou dominando a posse de bola. Os jogadores faziam o jogo rodar para tentar abrir a defesa costarriquenha, que se limitava a buscar os contra-ataques. Coutinho arriscou de fora da área, mas a bola foi para fora. A Costa Rica também chegou de fora da área e também isolou a primeira chance que teve. Nos primeiros minutos o time brasileiro trocava muitos passes no meio de campo, mas as melhores chances foram da Costa Rica. Cristian Gamboa fez grande jogada pelo lado direito. O lateral partiu nas costas de Marcelo, avançou à linha de fundo e cruzou rasteiro para o centro da área. Celso Borges chegou batendo com muito perigo. A bola saiu à direita de Alisson, para alívio brasileiro em São Petersburgo. A Costa Rica chegava com perigo mais uma vez. Oviedo recebeu na entrada da área, mas foi bloqueado na hora da finalização. O time de Tite tentava responder, mas não conseguia se organizar ofensivamente e era parado nas faltas, principalmente em cima de Neymar.

 

 

Diferente do jogo de estreia, contra a Suiça, quando apresentou uma boa variação tática, principalmente com as infiltrações de Paulinho pelo meio do ataque. A Costa Rica saiu jogando errado. Neymar tentou, a bola pegou no calcanhar do Acosta e sobrou para Marcelo que mandou a bomba, a bola sobrou para Gabriel Jesus que, impedido, mandou para o fundo da rede, mas o bandeirinha marcava a posição irregular do brasileiro. Dois minutos depois, foi Neymar quem recebeu em velocidade, mas não conseguiu finalizar. Após os primeiros trinta minutos, os pentacampeões melhoraram na partida. Coutinho insistia nos chutes de fora da área. Neymar caia pela ponta esquerda, mas a equipe não conseguia materializar a posse de bola em grandes chances. Marcelo girou e fez grande inversão de bola para Willian que foi bloqueado na hora do chute e a bola saiu para escanteio. Na cobrança, Paulinho se jogou na área e ficou pedindo pênalti. No fim do primeiro tempo Paulinho escapou em velocidade pela direita e cruzou por baixo, mas a bola saiu muito forte, cruzou toda a área e chegou até o lado esquerdo do ataque. Apesar da tentativa, os jogadores de defesa da Costa Rica executaram bem a linha de marcação e deixaram o ataque brasileiro em impedimento. No último minuto, Guzman cobrou falta na área, mas a bola saiu pela lateral.

 

 

PRESSÃO NO ATAQUE, BOA ATUAÇÃO DE NAVAS E VITÓRIA BRASILEIRA NOS ACRÉSCIMOS

 

O time brasileiro voltou para a segunda etapa com Douglas Costa no lugar de Willian. A mexida deu mobilidade à equipe de Tite que, diferente do primeiro tempo, passou a priorizar as jogadas pelo lado direito do campo. O zagueiro da Costa Rica se atrapalhou com a bola e tocou pra trás sem querer, Navas afastou, a bola sobrou no lado direito da área para Fagner que bateu cruzado na direção de Neymar, o atacante do PSG dividiu com o goleiro adversário que ficou com a bola. Logo em seguida, Fagner escapou pelo lado direito e cruzou na medida para Gabriel Jesus que subiu sozinho e cabeceou no travessão. Na sobra Paulinho fez grande jogada, driblou o marcador e rolou para Philippe Coutinho, na entrada da área, bater no canto direito da mata de Navas, mas o lateral direito Gamboa tirou a bola em cima da linha. O técnico Óscar Ramirez, na tentativa de recompor o poder de marcação de sua equipe, colocou o meio campo Bolaños no lugar do atacante Ureña. Paulinho escapou pelo lado direito e cruzou para Neymar, o atacante brasileiro bateu com força e o goleiro costarriquenho fez uma grande defesa colocando para escanteio. Casemiro errou o passe e Bolaños partiu no contra ataque, mas perdeu para Miranda. O jogo ganhou velocidade. Douglas Costa foi à linha de fundo e cruzou para Paulinho que rolou para Coutinho, na marca do pênalti, encher o pé. Mais uma vez, Navas defendeu e impediu o gol brasileiro. O Brasil seguia apertando. Neymar arriscou de fora da área e o goleiro soltou a bola. O atacante ainda tomou uma bronca do árbitro holandês por estar reclamando demais. Na sequência, um lance perigoso dentro da área de Alisson, mas Miranda apareceu bem e cortou duas vezes a bola de Venegas.

 

 

Na intenção de aumentar o poder ofensivo de sua equipe, o técnico Tite mexeu novamente e colocou Firmino no lugar de Paulinho. A Costa Rica tentava se segurar, mas o Brasil pressionava. Neymar cobrou escanteio e Casemiro apareceu sozinho para cabecear. Em seguida, o atacante brasileiro roubou a bola na intermediária, avançou até a meia lua e bateu com categoria, buscando o ângulo da meta adversária. A bola saiu à esquerda, raspando a trave. Douglas Costa fez grande jogada na entrada da área e tocou de calcanhar para Neymar que entrava livre pela esquerda e caiu na área, o árbitro holandês marcou pênalti. Após reclamação dos jogadores da Costa Rica, Bjorn Kuipers foi consultar o VAR (sistema eletrônico de auxílio à arbitragem) e voltou atrás, constatando que não foi falta no atacante brasileiro. Após reclamações, Neymar e Coutinho receberam cartões amarelos. A Seleção Brasileira não conseguia furar o bloqueio da defesa da Costa Rica e Casemiro tentou da entrada da área, para mais uma boa defesa do arqueiro rival. Marcelo avançou pelo lado esquerdo da defesa, ganhou na corrida e cruzou para Roberto Firmino que entrava pelo lado direito da área, o atacante tocou para Gabriel Jesus que, ao tentar dominar, perdeu o domínio e ajeitou, sem querer para Philippe Coutinho chegar batendo com força, sem dar chances para Keylor Navas e tirar o time brasileiro do sufoco. O gol fez o time da Costa Rica sair para o jogo, pois a derrota eliminava a equipe de Óscar Ramirez. No contra ataque brasileiro, Firmino tabelou e bateu colocado, no ângulo esquerdo do goleiro costarriquenho, mas a bola, caprichosamente saiu na linha de fundo. No último lance da partida, Douglas Costa arrancou em velocidade, mais uma vez pelo lado direito e centrou na medida para Neymar, que entrava sozinho e empurrou a bola para o fundo da rede, marcando o segundo gol brasileiro em São Petersburgo. Com o apito final, Neymar sentou no meio campo, chorando muito e foi consolado pelos companheiros.

 

 

PRÓXIMA PARTIDA

 

Buscando conquistar o primeiro lugar do Grupo E, a Seleção Brasileira encerra sua participação na primeira fase da Copa da Rússia, na próxima, quarta, dia 27, quando enfrenta a Sérvia, às 15h00, em Moscou. Eliminada, a Costa Rica cumpre tabela contra a Suíça, no mesmo horário em Ninji Novgorod.

 

FICHA TÉCNICA
BRASIL 2 X 0 COSTA RICA

 

Local: São Petersburgo
Data: 22 de junho de 2018 (Sexta)
Horário: 09h (de Brasília)

 

Árbitro: Bjorn Kuipers (HOL)

 

Gols: Philippe Coutinho 46’/2ºT e Neymar 52’/2ºT (Brasil)

 

Cartões amarelos: Neymar, Philippe Coutinho (Brasil) e Johnny Acosta (Costa Rica)

 

BRASIL: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Paulinho (Roberto Firmino), Casemiro e Philippe Coutinho; Willian (Douglas Costa) e Neymar; Gabriel Jesus (Fernandinho)
Técnico: Tite

 

COSTA RICA: Keylor Navas; Cristian Gamboa (Francisco Calvo), Giancarlo González, Johnny Acosta, Óscar Duarte e Bryan Oviedo; Johan Venegas, David Guzmán (Yeltsin Tejeda), Celso Borges e Bryan Ruiz; Marco Ureña (Christian Bolaños)
Técnico: Óscar Ramírez

Copyright© 2007/2018 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.