Tecnologia à francesa! ‘Bleus” vencem Austrália com auxilio do VAR, em Kazan

Para desesperos dos saudosistas, sistema eletrônico de auxílio à arbitragem funciona bem e garante os três pontos dos franceses na abertura do Grupo C

 

 

Aqueles que insistem em dizer que o futebol não pode contar com a ajuda eletrônica, tão presente em outros esportes, devem estar desesperados após a vitória da França sobre a Austrália, na manhã deste sábado, em Kazan. Os capitães do atraso viram o sistema eletrônico de auxilio à arbitragem entrar em ação pela primeira vez na história das Copas do Mundo e validar o pênalti sofrido por Griezmann. Como aquilo que é bom, geralmente se repete, o outro sistema de verificação eletrônica disponibilizado pela FIFA, mostrou que a bola de Pógba ultrapassou a linha da meta de Ryan, alertando o árbitro uruguaio Andrés Cunha para confirmar o gol da vitória dos ‘Bleus’. Uma vitória da tecnologia e do espírito esportivo em relação ao atraso que impera na cabeça de parte dos apaixonados pelo esporte bretão.

 

 

ESTUDO DE AMBAS AS PARTES E PRIMEIRO TEMPO SONOLENTO DAS EQUIPES

 

Uma das favoritas à conquista da Copa do Mundo, a França entrou em campo renovada. Apesar do ímpeto inicial, o jogo, na primeira etapa, foi truncado e a boa marcação australiana amarrou o jogo no meio campo, segurando as investidas dos talentosos azuis que apesar dos esforços de Griezmann e Mbappé, não conseguia armar boas jogadas de ataque para assustar o goleiro Ryan. A coisa estava tão ruim que até os quarenta minutos cada equipe havia chegado com perigo apenas uma vez. No finzinho da primeira etapa o lateral esquerdo australiano Behich tentou cruzar, a zaga da França cortou e a baola voltou para o mesmo Behich que bateu colocado e viu a bola passar muito perto do ângulo de Lloris, um suspiro de emoção no sonolento primeiro tempo em Kazan.

 

 

GOLS, POLÊMICA E A CONSAGRAÇÃO DA TECNOLOGIA

 

Após a burocrática primeira etapa, o segundo tempo começou com a França acelerando as ações de ataque e pressionando a saída de bola adversária. Aos oito minutos Griezmann recebeu em velocidade e foi derrubado pelo lateral direito Ridson, o árbitro mandou seguir o lance, mas, pela primeira vez na história das Copas, o VAR (sistema de auxilio eletrônico à arbitragem) foi utilizado e confirmou o pênalti em cima do atacante francês. O próprio Griezmann correu para bola e bateu no lado esquerdo do goleiro Ryan, que nem se mexeu, fazendo um a zero para a França e acabando definitivamente com os argumentos dos saudosistas que insistem em fazer do futebol um esporte enraizado no século passado.

 

Na frente do placar, a França tentava impor o seu jogo mais técnicos, Mbappé desceu em velocidade, tocou para Dembélé que achou Griezmann dentro da área, o atacante bateu e a bola desviou na zaga, dificultando a vida do goleiro Ryan. Após o ataque dos ‘Bleus’, Mooy lançou bola na área e Umtiti cortou com a mão. Pênalti marcado com precisão pela arbitragem, dessa vez, sem a ajuda do VAR. O capitão australiano Jedinak correu para bola, deslocou Lloris e empatou a partida. Após o empate, Didier Deschamps e Andrew Nabbout mudaram suas equipes. Na França, Fekir e Girou entraram no lugar de Dembelé e Griezmann. Na Austrália, Nabbout e Rogic deram vaga a Juric e Irvine. Mais tarde foi a vez de Tolisso sair para a entrada de Matuidi.

 

O dia era mesmo da tecnologia. A França buscava a vitória, Pogbá tabelou no comando de ataque e emendou de bico, a bola explodiu no travessão e quicou em cima da linha, apesar do esforço do time australiano, mais uma vez a tecnologia entrou em ação e sinalizou que a bola havia ultrapassado a linha por completo, em um sistema parecido com o utilizado nas partidas de tênis e de vôlei, validando o gol da França e colocando os europeus novamente em vantagem no placar. Empolgada, os franceses buscavam o terceiro gol, mas os australianos resistiram bem e, no fim da partida, aumentaram a pressão para cima da zaga europeia, mas não conseguiram marcar o gol de empate. Quem achava que a França sobraria no grupo, deve estar surpreso com a atuação australiana.

 

Autor do gol da vitória, o volante Pógba falou da dificuldade que os franceses encontraram na partida. – É um jogo de Copa do Mundo, né? Foi duro, foi difícil e a Austrália é um belo time. Eles marcaram bem, até em nosso campo, jogaram atrás e vai ser assim a Copa toda. Na hora do gol, fui muito ajudado pelo defensor, mas o que importa é que a bola entrou e garantiu os três pontos que são importantíssimos para seguirmos fortes na competição – finalizou.

 

 

PRÓXIMA PARTIDA

 

A seleção australiana tenta se recuperar da derrota na próxima quinta, dia 21, quando encara a Dinamarca, às 9h00, em Samara. No mesmo dia, ao meio dia, os ‘Bleus’ enfrentam o Peru de Paolo Guerrero, em Iekaterinburgo.

 

FICHA TÉCNICA
FRANÇA 2 X 1 AUSTRÁLIA

 

Local: Kazan Arena - Kazan
Data: 16 de junho de 2018 (Sábado)
Horário: 07h (de Brasília)

 

Árbitro: Andrés Cunha (URU)

 

Gols: Griezmann 12’/2ºT, Pogba 35’/2ºT (França) e Jedinák 16’/2ºT (Austrália)

 

Cartões amarelos: Corentin Tolisso (França); Joshua Risdon, Aziz Behich e Matthew Leckie (Austrália)

 

FRANÇA: Hugo Lloris; Samuel Umtiti, Lucas Hernández, Raphaël Varane e Benjamin Pavard; Paul Pogba, N'Golo Kanté e Corentin Tolisso (Blaise Matuidi); Ousmane Dembélé (Nabil Fekir), Kylian Mbappé e Antoine Griezmann (Olivier Giroud)
Técnico: Didier Deschamps

 

AUSTRÁLIA: Mathew Ryan; Aziz Behich, Mark Milligan, Trent Sainsbury e Joshua Risdon; Robbie Kruse (Daniel Arzani), Aaron Mooy, Mile Jedinák e Matthew Leckie; Tom Rogic (Jackson Irvine); Andrew Nabbout (Tomi Juric)
Técnico: Andrew Nabbout

Copyright© 2007/2018 - COMENTANDO.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.