3 vezes! Portugal e Espanha ficam no empate em noite de Cristiano Ronaldo

Gajos saem na frente e sofrem virada espanhola, CR7 marca três vezes e evita derrota em partida com falha de De Gea e dois gols de Diego Costa

 

 

Quando as bolinhas, no sorteio dos grupos da Copa do Mundo, colocaram Portugal e Espanha na mesma chave, o planeta todo imaginou seria um dos melhores jogos da primeira fase do mundial. Porém, o que ninguém esperava foi o que se viu no gramado do estádio de Sochi. Atuações fantásticas de Iniesta, David Silva e Cristiano Ronaldo. A força e a competência de Diego Costa, que marcou duas vezes, o toque e a posse de bola espanhola, a falha do goleiro De Gea e um pênalti logo no início da partida deram o tom dramático e emocionante daquele que foi um dos melhores jogos das últimas Copas do Mundo. Um clássico digno das tradições e expectativas que carregava.

 

Quem se lembra de Romário dizendo para quem quisesse ouvir que iria resolver os problemas da seleção brasileira e seria campeão mundial em 1994, deve estar com a pulga atrás da orelha após a estreia portuguesa na Copa do Mundo da Rússia. Vinte e quatro anos depois, outro jogador que, assim como o baixinho, também ostenta a posição de melhor jogador do planeta, corresponde às expectativas e mostrou que será uma das estrelas do mundial. Com a certeza de quem carrega um país inteiro nas costas, Cristiano Ronaldo, mais uma vez, chamou a responsabilidade para si e, simplesmente, fez os três gols portugueses no empate com a Espanha no início dos trabalhos no Grupo B, que após a primeira rodada é liderado pelo Irã.

 

 

PÊNALTI NO INÍCIO, PRESSÃO ESPANHOLA E GOL PORTUGUÊS NO FINAL

 

Na primeira ação de Cristiano Ronaldo pelo lado esquerdo, o atacante português pedalou para cima de Nacho que, infantilmente calçou o atleta adversário e cometeu o pênalti, que o árbitro Gianluca Rocchi não pensou duas vezes para marcar e apontar a marca da cal. Com calma, o próprio Cristiano Ronaldo foi para a cobrança, deslocando o goleiro De Gea e fazendo o primeiro gol dele e de Portugal na Copa. Após o rápido gol português, a seleção espanhola tentou recompor-se rapidamente. Aos nove minutos Isco centrou a bola para área, Diego Costa ajeitou e David Silva emendou com perigo, por cima da meta de Patrício. A Espanha concentrava suas ações no lado esquerdo de seu ataque, Isco ciscou na frente da zaga lusitana e cruzou, mas ninguém alcançou a bola, na sequência, Gonçalo puxou o contra ataque e se enrolou com a bola quando Cristiano Ronaldo se infiltrava em meio aos zagueiros.

 

Na medida que o primeiro tempo avançava a seleção de Fernando Hierro começava a mostrar sua qualidade, sempre pelo lado esquerdo. Dessa vez, foi Iniesta que achou David Silva que bateu para fora. No contra ataque Ronaldo, delicadamente deixou Bruno Fernandes na cara do gol, mas o meia acabou bloqueado pela zaga. A Espanha apertava investindo sempre nas jogadas pelo lado esquerdo. Diego Costa recebeu lançamento pelo lado esquerdo, trombou com Pepe e levou a melhor. O brasileiro naturalizado espanhol ciscou para cima de Fonte, limpou Guerrero e soltou a bomba no canto direito de Patrício para empatar a partida, o que gerou muita reclamação dos atletas de Portugal que pediram ao árbitro italiano para consultar o VAR (sistema eletrônico de arbitragem) e constatar a falta em cima do zagueiro português, no início do lance, em vão.

 

 

Um dos grandes destaques do título mundial de 2010 e apesar dos 34 anos, Iniesta segue comandando com perfeição o meio campo da seleção campeã de 2010. Aos 26 minutos, o meia lançou na área, a zaga portuguesa cortou e, na sobra, Isco emendou de primeira. A bola bateu no travessão e quicou em cima da linha do gol português. Então, foi a vez dos espanhóis questionarem a arbitragem para solicitar o sistema eletrônico de verificação e saber se a bola entrou, mas o juiz italiano sinalizou que seu relógio avisaria se fosse gol.

 

Após o gol de empate, a Espanha aumentou o ritmo da partida, tirando Portugal da zona de conforto, no jogo de contra ataques que priorizava até o momento. Diego Costa dominou na entrada da área e passou para Jordi Alba que foi à linha de fundo e cruzou para Iniesta bater em diagonal. A bola caprichosamente saiu no lado esquerdo da meta portuguesa. Acuada pela investida espanhola, a seleção lusitana se limitava a tentar retomar os contra ataques. Rui patrício tentou lançamento longo, cortado pela zaga adversária. Depois, foi a vez de Gonçalo Guedes receber em posição legal, tocar de lado para Cristiano Ronaldo emendar uma bomba e ver a ajuda do goleiro De Gea, que deixou a bola escapar de suas mãos e entrar no cantinho, colocando os portugueses de novo na frente.

 

 

ESPANHA CONTROLA A PARTIDA VIRA O JOGO, MAS SOFRE GOL NO FIM

 

A segunda etapa começou com menos emoções que o animado primeiro tempo de três gols e inúmeras oportunidades. Nos primeiros minutos, as duas seleções estudavam as ações adversárias, quando, aos oito minutos, Iniesta tabelou com Koke na intermediária e foi derrubado por João Moutuinho. David Silva cobrou a falta para Busquets, que posicionado na trave direita cabeceou para Diego Costa, dentro da pequena área, empurrar para o fundo da rede, marcando seu segundo gol no jogo e empatando a partida. Se os primeiros minutos foram de estudo, após o empate espanhol, tudo mudou. Isco, Alba e Iniesta trocaram passes pelo lado esquerdo de ataque, no cruzamento a zaga portuguesa cortou para a intermediária, onde o lateral direito Nacho pegou na veia, bateu com muita força na bola que tocou no pé da trave direita de Patrício e morreu no fundo da rede. Um golaço no animado jogo em Sochi.

 

Após a virada, os espanhóis passaram a controlar as ações da partida e impuseram seu tradicional jogo de toque de bola, dominando o meio campo e não dando muitos espaços para a criação dos adversários. Para tentar mudar o panorama da partida, o técnico Fernando Santos colocou João Mário no lugar de Bruno Fernandes e Quaresma na vaga de Bernardo Silva. Já Fernando Hierro mandou para o campo o brasileiro naturalizado espanhol Thiago Alcântara na posição de Iniesta e Aspas na posição de Diego Costa. Mesmo assim, a seleção da Espanha continuava com a posse de bola sem proporcionar espaços para o setor de criação lusitano. É, mesmo com todas as dificuldades, quem tem o melhor jogador do mundo tem sempre que manter as esperanças. E, mais uma vez, Cristiano Ronaldo fez a diferença. O gajo recebeu de costas para o gol e sofreu falta na entrada da área. Na cobrança, o atleta do Real Madrid tomou muita distância da bola, respirou fundo e bateu com classe no ângulo esquerdo do goleiro De Gea. Foi o terceiro gol de Ronaldo na partida, empate português e festa portuguesa, com certeza. O gol de ânimo aos portugueses. Aos 47 minutos, quaresma driblou três marcadores na entrada da érea e foi bloqueado na hora do chute. Na sequência Cristiano Ronaldo cometeu falta de ataque.

 

 

PRÓXIMA PARTIDA

 

Portugal volta a campo na próxima quarta, dia 20, quando enfrenta o Marrocos, às 9h00, em Moscou e os espanhóis encaram a seleção do irã, também no dia 20, às 15h00, em Kazan.


FICHA TÉCNICA
PORTUGAL 3 X 3 ESPANHA


Local: Sochi
Data: 15 de junho de 2018 (Sexta)
Horário: 15h (de Brasília)


Árbitro: Gianluca Rocchi (ITA)


Gols: Cristiano Ronaldo 3’, 44’/1ºT e 41’/2ºT; Diego Costa 24’/1º T, 9’/2ºT e Nacho 12‘/2°T


Cartões amarelos: Bruno Fernandes (Portugal) e Sergio Busquets (Espanha)


PORTUGAL: Rui Patrício; Raphaël Guerreiro, Pepe José Fonte, e Cédric Soares; Bruno Fernandes (João Mário), William Carvalho, João Moutinho e Bernardo Silva (Ricardo Quaresma); Cristiano Ronaldo e Gonçalo Guedes (André Silva)
Técnico: Fernando Santos


ESPNHA: David De Gea; Jordi Alba, Sergio Ramos, Gerard Piqué e Nacho; Sergio Busquets, Koke, Andrés Iniesta (Thiago Alcântara), Isco e David Silva (Lucas Vásquez); Diego Costa (Iago Aspas)
Técnico: Fernando Hierro

Copyright© 2007/2018 - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.