Seis! Brasil detona Honduras por 6 a 0 e disputa a medalha de ouro no sábado

Neymar marca com 15 segundos e desestrutura sistema defensivo dos hondurenhos. Brasil goleia e vai à final olímpica pela quarta vez na história

 

Truco! Seis, ladrão. Pois, é! Parecia jogo de baralho, ou de vídeo game, como queiram. Mas o fato é que nem o mais otimista dos torcedores brasileiros poderia imaginar que a semifinal do torneio de futebol masculino seria tão fácil, principalmente após as duas primeiras partidas da seleção brasileira na Rio 2016. O que se viu na tarde ensolarada desta quarta-feira, 17, no Maracanã, foi um dos mais clássicos passeios da história olímpica. O time de Rogério Micale goleou por seis a zero e não teve o mínimo trabalho para trucidar a frágil seleção de Honduras. O time de Jorge Luís Pinto desmoronou após o gol relâmpago de Neymar, que dividiu com o goleiro e empurrou para as redes hondurenhas aos quinze segundos de jogo. Quando conseguiram assimilar o golpe perdiam por quatro a zero e não dava mais para esboçar qualquer reação. Mais uma vez, o Brasil chega à sua segunda final seguida, já que disputou a medalha de ouro em Londres 2012. Coincidentemente, na década de oitenta, a seleção também disputou duas finais seguidas, quando foi prata em Los Angeles 1984 e Seul 1988. Tomara que no Rio de Janeiro essa sequência de vices seja interrompida e, finalmente, o Brasil conquiste a tão sonhada medalha de ouro.

 

GOL RELÂMPAGO DE NEYMAR ABALA TIME HONDURENHO

 

Não deu tempo nem de respirar. Honduras deu a saída e no recuo mal feito pelo zagueiro Palácio, Neymar apertou a marcação, dividiu com o goleiro Lopez, que tentou afastar o perigo, mas a bola pegou no atacante brasileiro e rolou para balançar as redes hondurenhas. O atacante brasileiro nem conseguiu comemorar. Andou alguns metros e desabou no chão sentindo uma contusão no peito. A partida ficou quase quatro minutos parada para atendimento ao atacante. Apesar do anticlímax, o fato é que o Brasil começava a partida vencendo por um a zero. O time de Honduras tentava se reorganizar. Luan fez grande jogada dentro da área, driblou o zagueiro, abriu o ângulo e por pouco não ampliou o placar. Lopez salvou com o pé no último instante. Aos 15, Gabriel Jesus tabelou, entrou na área, mas foi desarmado na hora do chute pelo defensor oponente. Bryan Acosta fez falta dura recebeu o primeiro cartão amarelo da partida com menos de vinte minutos de jogo. O time de Rogério Micale tocava bem a bola, se valendo da vantagem no placar. Os hondurenhos começavam a caçar Neymar em campo e menos de três minutos depois do primeiro, Allan Vargas pegou o Neymar e recebeu o segundo cartão amarelo para Honduras no jogo.

 

A seleção trocava passes pelo meio campo, Luan fez grande passe em velocidade para Gabriel Jesus na meia esquerda. O atacante entra livre e, na saída do goleiro, dá um leve toque para marcar o segundo gol da seleção brasileira. Os hondurenhos estavam perdidos em campo. No chute de Neymar, Paz vacilou, Gabigol tocou e quase fez o terceiro do Brasil. Os visitantes tentavam esboçar uma reação. Quioto correu na ponta esquerda e cruzou no centro da área, mas Weverton caiu e cortou a jogada. O jogo parecia vídeo game. Aos 34 minutos, Neymar lançou Gabriel Jesus na ponta esquerda. O atacante entrou pelas costas do lateral direito Paz, dominou a bola e bateu sem chances para Lopez, fazendo três a zero. Assim que Honduras deu a saída na bola, Rodrigo Caio chegou firme em cima do zagueiro Pereira e recebeu um cartão amarelo de graça. Os brasileiros não poderiam entrar na provocação dos centro-americanos. O zagueiro brasileiro recebeu um cartão por desarmar uma jogada no meio de campo que não levava qualquer perigo à meta brasileira. O gol brasileiro com quinze segundos de jogo desmontou qualquer pretensão tática da seleção de Honduras que se desorganizou em campo e não oferecia o mínimo perigo à seleção brasileira. Mesmo com o demorado atendimento médico de quase quatro minutos, após o primeiro gol dos donos da casa, o árbitro não pensou duas vezes e encerrou o primeiro tempo aos 47 minutos.

 

VIROU FESTA! GOLEADA BRASILEIRA NO MARACANÃ

 

Na segunda etapa, o técnico Jorge Luis Pinto promoveu duas alterações. Colocou Oscar Salas no lugar de Allans Vargas e Jhow Benavidez na vaga de Antony Lozano. Logo no primeiro lance, Neymar lançou Gabigol na entrada da área, mas o zagueiro da seleção de Honduras cortou na hora do chute. Na sequência, Luan entrou sozinho, bateu de lado de pé para defesa do goleiro Lopez. Mesmo com as mudanças do técnico adversário, a seleção brasileira apertava o time de Honduras. Douglas Santos partiu em velocidade e tentou o cruzamento que foi cortado para escanteio pela zaga. Na cobrança, Neymar colocou na área, o zagueiro Marquinhos entrou tão sozinho que teve tempo de dominar e mandar uma pancada para o gol, marcando o quarto do Brasil na partida. Honduras perdia de quatro a zero e tentava não tomar mais nenhum gol. Em lançamento na área brasileira, Elis assustou o goleiro Weverton, mas o árbitro marcou falta. Com a partida completamente dominada, o técnico Micale tirou o zagueiro Rodrigo Caio que havia tomado um cartão amarelo no primeiro tempo e colocou o reserva Luan Garcia. O time da casa procurava buscar o jogo pelo lado direito, Gabigol fez grande jogada e aplicou um lençol de cabeça no hondurenho. Paz não perdoou, chegou pesado e recebeu o cartão amarelo.

 

A seleção brasileira mantinha a posse de bola no campo de ataque. Palacios fez outra falta dura e recebeu mais um cartão amarelo. Neymar cobrou a falta com categoria, no canto direito do goleiro Lopez que salvou de maneira espetacular. Após boa jogada da seleção de Honduras pelo lado direito, o jogo ficou parado para atendimento do goleiro brasileiro e a torcida aproveitou para fazer uma grande festa. De certa forma, soltava os gritos que ficaram entalados em sua garganta a semifinal da Copa do Mundo, depois do vexaminoso sete a um. Já pensando na final, Rogério Micale tirou Gabriel Jesus e colocou Felipe Anderson. Honduras fez sua última mexida na partida. Allan Banegas substituiu Bryan Acosta. Em seguida, Espinal puxou a camisa de Gabigol na meia direita e recebeu o quinto cartão amarelo dos hondurenhos. Na cobrança da falta, Neymar colocou no canto esquerdo de Lopez fazendo o estádio comemorar, mas a bola estava na rede pelo lado de fora, enganando todos. Renato Augusto deu lugar a Rafinha Alcântara sob aplausos do público presente no Maracanã que gritou o seu nome com força. O time brasileiro jogava com calma. Gabigol abriu a bola na direita para Felipe Anderson que foi ao fundo e cruzou para Luan empurrar para o gol vazio, fazendo o quinto do Brasil no jogo. Era um passeio completo, definitivamente. O time de Honduras não esboçava qualquer reação, mas, mesmo assim não deixava o espírito de competição de lado. Aos 35, Elis experimenta de fora da área e o goleiro brasileiro coloca para escanteio. Na cobrança com jogada ensaiada, Garcia fez boa jogada pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou para Elis que bateu no canto direito para grande defesa de Weverton. No apagar das luzes, Luan recebeu livre e quando tentou girar foi derrubado. Pênalti que Neymar cobrou com categoria no lado direito de Lopez e fez seis a zero no placar.

 

Renato Augusto ressaltou que o grupo precisa conter a euforia e se manter concentrado para não deixar a medalha de ouro escapar.

 

- A gente sabe a responsabilidade que temos. Não ganhamos nada e temos que manter o pé no chão. Sei que o momento é de muita euforia, mas agora é descansar e pensar no próximo jogo. Conseguimos melhorar a parte da tática da equipe com o pessoal da frente ajudando na marcação. Ganhamos mais ritmo e agora é estudar o próximo adversário – lembrou.

 

O lateral direito Zeca revelou que o gol de Neymar foi um pedido de Micale e que os jogadores querem mudar a imagem do time junto ao povo.

 

- Fomos subindo de produção durante o campeonato. Nos primeiros jogos fomos bem e melhoramos. Claro que houve critica, muitas vezes justa, mas sempre nos fechamos entre nós. Hoje o Micale pediu para a gente apertar a saída de bola deles, porque eles teriam um passe lento já que armam o time com uma linha de cinco jogadores. Estamos preparados para o que vier. Não temos rivalidade e precisamos forcar no time que se classificar. Tenho certeza que depois dessa Olimpíada, o time brasileiro não será mais visto como um time que só quer a bola no pé. Depois dessa final a seleção será vista como um time de raça que briga pelas bolas sempre – profetizou o jovem ala.

 

No sábado, dia 20, a seleção brasileira volta ao Maracanã para fazer sua quarta decisão olímpica da história. A disputa da medalha de ouro será contra os vencedores da partida entre Alemanha e Nigéria, que jogam na tarde desta quarta.

 

FICHA TÉCNICA

BRASIL 6 X 0 HONDURAS

 

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 17 de agosto de 2016 (Quarta)

Horário: 13h (de Brasília)

 

Árbitro: Ovidiu Hategan (ROU)

 

Gols: Neymar - 0’/1º T 45’/2ºT, Gabriel Jesus 25’, 34’ / 1ºT, Marquinhos 5’/2ºT e Luan 33’/2ºT

 

Cartões amarelos: Rodrigo Caio (Brasil); Johnny Palacios, Jhonatan Paz, Allans Vargas, Bryan Acosta, Marcelo Espinal (Honduras)

 

BRASIL: Weverton; Zeca, Marquinhos, Rodrigo Caio (Luan Garcia) e Douglas Santos; Walace, Luan e Renato Augusto (Rafinha Alcântara); Neymar, Gabriel Jesus (Gabriel Jesus) e Gabigol

Técnico: Rogério Micale

 

HONDURAS: Luis Lopez; Jhonathan Paz, Marcelo Pereira, Allan Vargas (Oscar Salas), Johnny Palacios e Brayan Garcia; Bryan Acosta (Allan Banegas) e Marcelo Espinal; Antony Lozano (Jhow Benavidez), Romell Quioto e Alberth Elis.
Técnico: Jorge Luis Pinto

Copyright© 2007/2018 - COMENTANDO.COM.BR - Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.